Gravadoras desenvolvem um gosto por vampiros

“Twilight”, o filme do romance de vampiro lançado no ano passado, foi por qualquer medida um sucesso: $191 milhões de dólares brutos em vendas de ingressos, três milhões de vendas do DVD no dia em que chegou nas lojas, infinitas capas de revista embelezadas pelo seu jovem galã, Robert Pattinson .

Para a indústria da música, no entanto, sua trilha sonora é praticamente um milagre. De acordo com a Nielsen SoundScan, a trilha sonora já vendeu 2,2 milhões de cópias, uma quantidade que já foi rotina, mas que em uma época depressiva de vendas tornou-se muito rara. Assim como os vampiros voltam sua atenção para o cheiro de sangue, gravadoras, editoras e empresários artísticos passaram grande parte do ano passado agressivamente em busca de The Twilight: New Moon, o segundo da série, que irá estrear nos cinemas em 20 de novembro.

Alexandra Patsavas, a supervisora de música em ambos os filmes, foi contratada para New Moon em janeiro, mas disse em uma entrevista esta semana que os passos para a trilha sonora começaram mesmo antes disso. E, embora a lista de canções para New Moon ainda esteja sendo concluída, os executivos de música dizem que já começaram a pressionar para ter seus artistas incluídos no terceiro filme, The Twilight Saga: Eclipse, lançamento previsto para junho próximo.

“Este é definitivamente um ponto brilhante em uma indústria que precisa de alguns pontos brilhantes”, Patsavas disse.

As grandes gravadoras há muito viam trilhas sonoras como veículos de alta recompensa e baixo risco para a promoção de mega-singles. E até que esse modelo fosse abaixo no início de 2000 pela ascensão de downloads de uma música só, houve um fluxo constante de sucessos multiplatina. O Guarda-Costas, de 1992, vendeu 11,8 milhões de cópias. Mas junto com filmes recentes, como Juno e Twilight, emergiu um exemplo de uma nova abordagem: escolher canções que se misturam com a narrativa do filme, e que apelam aos espectadores através de ressonância emocional ao invés da familiaridade com uma super estrela. “Sempre houve trilhas sonoras incríveis, como Flashdance e Os Embalos de Sábado à Noite, em que se conectava à história”, disse Livia Tortella, gerente geral e vice-presidente executiva da Atlantic Records, que está lançando o álbum em 20 de outubro com o selo de Ms. Patsavas’s, Chop Shop. “Em algum lugar ao longo das falas, isso se tornou simplesmente uma oportunidade dupla e não apenas o filme em si. Isso diluiu as coisas”.

Uma das poucas exceções à recente tendência de vendas para trilhas sonoras é a Disney, que tem conseguido multiplatinas com as suas franquias de sucesso High School Musical e Hannah Montana.

Patsavas, conhecida por seu trabalho em programas de televisão como Grey’s Anatomy e Gossip Girl, disse que estava confiante de que a trilha sonora de New Moon incluiria Thom Yorke, Bon Iver e Band of Skulls. O primeiro single “Meet Me on the Equinox”, da banda Death Cab for Cutie, teve sua estreia na MTV.com, no domingo, como parte de uma campanha promocional de Twilight em torno do MTV Video Music Awards. Houve amplas especulações na indústria da música durante todo o verão sobre quem mais poderia ser incluído. Representantes dos Grizzly Bear e The Killers disseram que esses grupos estariam na trilha sonora, mas Patsavas se recusou a comentar, dizendo que a lista completa seria concluída e anunciada na sexta-feira.

Para as bandas, uma colocação em um filme de Twilight significa um grande potencial de vendas e ampla exposição.

“Se você é um artista que se vincula com sucesso a um filme tão enorme como Twilight, você recebe um benefício duradouro para além do filme e da trilha sonora em si”, disse James Diener, presidente da A & M / Octone. “Você é capaz de acessar dólares de marketing que a empresa cinematográfica gasta que vão além do que uma gravadora poderia ou iria gastar.”

A primeira trilha sonora tinha um som alto e uma batida vibrante de artistas como Paramore e Linkin Park, mas as músicas de New Moon tem um toque suave e melancólico.

“Este é um filme muito mais sombrio do que Twilight, Patsavas disse. “Há muito amor perdido, então os artistas que vão fazer parte da trilha sonora refletem essa saudade – muitos instrumentos acústicos, muito canto a cappella. Esta trilha sonora definitivamente parece um pouco mais indie do que a última.”

O estilo Indie também é importante para o marketing do filme. Para alcançar os jovens, Atlantic e Summit Entertainment, estúdio do filme, fizeram extensos planos com o MySpace, o iTunes e, especialmente, Hot Topic, a cadeia de vestuário e lojas de cultura pop, cujo cliente mais fiel poderia ser uma adolescente com um quarto cheio de posters de Twilight. Entre os planos para o filme está uma turnê nacional pelas lojas Hot Topic com artistas da trilha sonora, Tortella disse.

MTV também tem sido uma parceira promocional chave. Trailers de New Moon foram mostrados no MTV Movie Awards em maio e no domingo, no Video Music Awards, onde as estrelas do filme foram onipresentes. “Toda vez que há notícias de Twilight, a audiência da MTV simplesmente devora”, Tortella disse. “Demograficamente é um negócio muito bom.”

Para atrair e manter o seu público, a equipe de Twilight empregou uma tática que alguns marqueteiros chamam de “massclusive”: a distribuição de um produto em uma escala de massa, mas usando a linguagem das subculturas nicho, e incluindo muitos especiais, os chamados conteúdos exclusivos . Isso dá aos fãs uma íntima conexão, não importa quão grande o público seja, disse Alain Sylvain, um diretor-gerente da Redscout, uma empresa de estratégia de marca em Nova York.

“Palavras como exclusiva, remix, editado, com curadoria – todas essas coisas adicionam camadas de profundidade para uma história”, disse Sylvain. “As pessoas estão consumindo tudo: os livros, os filmes, as trilhas sonoras. Twilight é uma grande narrativa de imersão, e a trilha sonora está desempenhando um papel nessa história.”

Todas as músicas de New Moon são novas, e Patsavas disse que alguns artistas viram cenas do filme como um guia. Chris Walla, guitarrista do Death Cab for Cutie, disse que tinha lido dois dos livros de Twilight quando a banda gravou “Meet Me on the Equinox”, em julho, mas que a letra, cantada por Ben Gibbard, é mais sugestiva do que literal.

“Não é tão específico que tem que estar ligada ao filme,” Walla disse. “Todas as letras de Ben têm uma universalidade. Não é como se a música fosse sobre Jacob se transformando em lobisomem.”

Para a Patsavas, o lançamento não se limitou às gravadoras.

“Eu não posso te dizer quantas submissões e sugestões eu recebo de fãs que encontraram o meu nome por aí de alguma forma”, disse ela. “Eles não apenas sugerem bandas desconhecidas de seus amigos, mas talvez suas 50 canções favoritas.”

“Esta propriedade”, acrescentou ela, “realmente se conectou com as pessoas em um nível muito emocional”.